12/11/2019 - 14h17min - Autor: Ayrton Dias

TURISMO – A INDÚSTRIA DA FELICIDADE

TURISMO – A INDÚSTRIA DA FELICIDADE

Modelos: Ana Lídia Clemente, Gabriel Santos, Analu Portugal, Yuri Alecsander, Lorrayne Munier e Patrick Valle Agência de modelos: @maisoncler FOTO: Mariane Silva @marianesilvafotografia Direção de fotografia: Ayrton Dias LOCAÇÃO: Jardim Histórico do Nova Friburgo Country Clube Looks masculino: @aeroposter_nf Feminino: @insanidadejeans

A experiência turística deve promover a satisfação, o contentamento e enfim - em sua essência - contribuir para a felicidade das pessoas. Atualmente mais do que produtos e serviços os consumidores buscam sensações e a satisfação de desejos garante a permanência ou não das empresas no mercado, notadamente aquelas voltadas ao lazer.

Jardim histórico do Nova Friburgo Country Clube, o mais bem preservado do Brasil  

O turismo é uma das principais atividades econômicas em vários países e representa mais de 10% do PIB mundial. No Brasil, segundo o Ministério do Turismo, o setor já é responsável por cerca de 8% da economia nacional, gerando trabalho e renda para aproximadamente 7 milhões de pessoas.  Por contar com um perfil considerado limpo, o turismo possibilita o desenvolvimento sustentável e estimula o associativismo e a integração. Essa poderosa indústria tem como preceitos fundamentais a segurança e o bem-estar, não só para os turistas e visitantes como também para a população dos destinos.

Luis Fernando - Foto: Sílvia Guedon

O presidente da Agência de Desenvolvimento Regional – MercoSerra, Luis Fernando Gomes, vislumbra significativos avanços para a população da Região Serrana através do turismo: “Em função da sua extensa cadeia produtiva, esse setor dinamiza efetivamente a economia gerando renda e trabalho para as populações dos destinos turísticos. É preciso ressaltar que o investimento maior cabe ao empresariado, restando ao poder público prover a infraestrutura necessária para garantir as questões relacionadas a mobilidade urbana, segurança, saneamento básico, saúde, educação...enfim, ao que se espera de uma gestão em qualquer âmbito da federação. O turismo é uma mola impulsionadora do desenvolvimento e a população entende isso . O que precisa ser feito é adequar as cidades ao turismo sustentável. Valorizar aspectos como a história, arte e a cultura ajuda nesse sentido. Nossa Região é privilegiada pela natureza, e se juntarmos tudo isso teremos um turismo de qualidade . O MercoSerra pretende contribuir sempre para que o turismo seja realmente a indústria da felicidade. Esta é a nossa proposta.”

Vinícius Claussen - Foto: Êxito Rio

Para o prefeito de Teresópolis, Vinícius Claussen, “Uma cidade, quando sua população desfruta de bem-estar e vive em harmonia, motiva outras pessoas a quererem desfrutar desses aspectos. Esse bem-estar está ligado a felicidade,  alegria, se realizar, ocupar os espaços públicos, ter orgulho da sua terra e a questão do pertencimento. O turismo acontece quando a população está satisfeita com a sua cidade. Esse setor que envolve a experiência e a vivenciação é um momento família, é a hora de estar com quem se ama em alegres circunstâncias em lugares que nos trarão boas memórias. Quando se faz turismo, com certeza, busca-se a felicidade. “

Em função da sua geografia e condições climáticas, Cachoeiras de Macacu tem despertado o interesse de muitos praticantes do voo livre. Na modalidade de longa distância, alguns pilotos chegam a percorrer mais de 100 km.Foto: Acervo Fundação Macatur

"O nosso cotidiano tão duro, somente será suportável se escaparmos do mesmo. Nas atividades turísticas estão as oportunidades de lazer, que podem ser fugas necessárias. Em Cachoeiras de Macacu temos grandiosas riquezas naturais  e oportunidades com o turismo de aventura a serem ofertadas, neste mote turístico da industria da felicidade". Essa é a visão do Secretário de Turismo de Cachoeiras de Macacu e Presidente da Fundação Macatur Adilson Murizini, que reitera a importância do setor turístico para a melhoria do aspecto emocional das pessoas.

...”um destino turístico só é bom, quando a infraestrutura e a comunidade local estão perfeitamente atendidos e todos satisfeitos com essa atividade.”

Thomas Weber – presidente da TurisRio – Foto: Gustavo Henrique Medeiros


O presidente da TurisRio Thomas Weber, quando perguntado se o Turismo é a indústria da felicidade respondeu: "Nessa afirmação você tem três questões. Uma seria, definir o turismo, que nada mais é do que se deslocar do seu local de residência para outro por algum motivo. Aí, entra a segunda questão... que é de ser uma indústria de quase 60 atividades diretas e de diversas competências. A terceira, é a felicidade ...que é o objetivo do turismo. Afirmo isso, porque o turismo pode ser de cunho cultural, de consumo, de negócio, gastronômico, ecológico, esportivo, de aventura, etc, etc... ou simplesmente de apreciação de atrativos. Todos são relacionados com bem-estar e com a felicidade. Considero também importante o entendimento de que um destino turístico só é bom, quando a infraestrutura e a comunidade local estão perfeitamente atendidos e todo satisfeitos com essa atividade"!

Turismofobia

De acordo com a Organização Mundial de Turismo, da ONU, o ano de 2018 registrou o recorde no número de turismo internacional, com 1,4 bilhão de pessoas viajando para fora de seus países, 6% a mais do que em 2017,  uma cifra que a entidade esperava atingir apenas em 2020. Já o World Travel & Tourism Council (WTTC), prevê que o número de passageiros das companhias aéreas vai mais que dobrar em dez anos, passando dos quatro bilhões em 2017 para 8,2 bilhões em 2028. Os estudos da entidade, que reúne mais de 170 dirigentes de empresas privadas do setor, mostram também que a participação do turismo no PIB mundial passará dos atuais 10,4% para 11,7%, em 2028. Atualmente, um em cada dez empregos no mundo é ligado à atividade turística, direta ou indiretamente.


Infelizmente, a presença maciça de turistas pode resultar em alterações indesejáveis à vida dos habitantes dos destinos turísticos. Em Barcelona (Espanha), por exemplo, moradores já realizaram protestos contra o turismo de massa. O fluxo turístico na cidade já está chegando ao seu limite, resultando em um comportamento hostil da população em relação aos viajantes em um claro sintoma da turismofobia, um fenômeno que gera verdadeira aversão aos visitantes. Os motivos vão desde alegar que o número elevado de não-moradores esteja danificando a cidade a até dizer que o turismo exacerbado acaba com negócios locais e dá lugar apenas para grandes marcas. A elevação do custo de vida e o aumento dos índices de criminalidade também são fatores determinantes a “caça aos turistas” que tem ocorrido em vários destinos espalhados pelo mundo, principalmente na europa.

Os empresários Urs e Yvonne Aman já viajaram por mais de 20 países. O casal acredita que o turismo liberta da rotina do dia a dia e, quando praticado dentro de padrões sustentáveis, o turismo realmente é a indústria da felicidade. Foto: Êxito Rio

Turismo sustentável

Pode até parecer simples, mas o setor do turismo é extremamente complexo! A construção de um destino exige tempo, planejamento, organização e – fundamentalmente – muito comprometimento. O sucesso obtido em destinos sustentáveis como a Costa Rica, por exemplo, é atribuído a minucioso planejamento e ao envolvimento da sua população, que teve o claro entendimento da importância da atividade turística para a economia do país.

Os impactos gerados pelo setor foram previamente estudados evitando-se incorrer em situações degradantes tanto para a comunidade local quanto para turistas e visitantes. A palavra de ordem sempre foi a sustentabilidade e dessa maneira, a extensa cadeia do turismo do país caribenho beneficiou-se plenamente gerando um ambiente de prosperidade. O turismo praticado nessas condições atendeu a um ciclo virtuoso que se desenvolveu à partir de um processo cultural que contemplou os anseios dos costariquenhos no tocante a qualidade de vida. Em viagens pelo ao país, turistas e visitantes percebem a satisfação dos seus habitantes e se sentem acolhidos nesse ambiente encantador permitindo-se desfrutar mais intensamente dos momentos únicos de lazer que só o turismo pode proporcionar.

Turismo no Brasil

Nunca é demais destacar que, além do viés econômico, o turismo deve contribuir para o desenvolvimento social e a preservação ambiental. Destinos turísticos como Gramado(RS), Bonito(MTS) e Fernando de Noronha(PE) são referências em sustentabilidade. O sucesso obtido por eles, infelizmente, ainda é uma exceção em um setor que ainda não é plenamente reconhecido pelas autoridades brasileiras como um importante vetor de desenvolvimento. Para que o turismo ocupe lugar de destaque na economia do país, essa poderosa indústria precisa contar com uma série de mudanças.

A Região Serrana “está na moda”! Além dos seus tradicionais atrativos, a serra fluminense oferece um clima ameno e agradável sensação de segurança – No detalhe: o principal maciço do Parque Estadual dos Três Picos , que abrange o municípios de Cachoeiras de Macacu, Nova Friburgo, Teresópolis, Guapimirim e Silva Jardim – Foto: Êxito Rio

O Trade turístico nacional reivindica, por exemplo, a melhoria da infraestrutura pública, assim como o  fortalecimento da imagem do Brasil no exterior destacando seus diferenciais como destino turístico. Existe também uma demanda por condições mais favoráveis para investimentos nacionais e estrangeiros, com incentivo a inovação como condição de competitividade. O apoio e adoção a políticas de taxação inteligentes, que incluem simplificação na tributação e desburocratização, para melhoria no ambiente de negócios também consta na lista de reivindicações. O aprimoramento na capacitação em todos os níveis educacionais, assim como nas habilidades técnicas, o aperfeiçoamento das condições de transportes aéreo, rodoviário, ferroviário e náutico,garantindo conectividade eficiente para facilitar as viagens para o Brasil e dentro do país também, segundo os representantes do mercado de viagens, também fazem-se necessárias. A proatividade na busca de mercados internacionais emissores de turistas que combinem volume de turistas e gastos altos; adoção de práticas de digitalização nas áreas de gestão; planejamento e marketing; apoio e estimulo ao desenvolvimento de novos produtos turísticos que tragam melhor experiência ao visitante e o encorajamento ao desenvolvimento econômico sustentável e crescimento inclusivo, também constam no pleito do Trade turístico brasileiro que é baseado em Planos de Turismo anteriores e visa garantir continuidade e, ao mesmo tempo, renovação e inovação constantes. Acredita-se que a implementação de novas medidas em um cenário colaborativo, envolvendo empresários e profissionais de turismo propicie o ambiente ideal para o desenvolvimento do turismo nacional.

Niterói se notabilizou como um importante emissor de turismo, mas atualmente se destaca no cenário turístico nacional.. Com sua beleza cênica, gastronomia diversificada e vários atrativos históricos, artísticos e culturais,  o município desperta cada vez mais o interesse de turistas e visitantes – no detalhe: Praia de Camboinhas – Foto: Êxito Rio


Mesmo distante dos principais países emissores, o Brasil conta com um enorme potencial para atrair muitos turistas afeitos a novidades e, principalmente, diversidade .  O aprimoramento do turismo nacional é um grande anseio tanto de quem oferece produtos e serviços, quanto dos consumidores que alimentam esse mercado.. Atenta aos novos tempos, a sociedade civil organizada vem buscando alternativas através de inúmeras iniciativas que viabilizam parcerias público/privadas, estimulam o  associativismo e desenvolvem a integração regional resultando na criação de novos destinos turísticos sustentáveis. Essas iniciativas têm garantido um significativo ganho na melhoria da qualidade de vida das populações que acabam se beneficiando dessas boas práticas.


O compartilhamento de informações por parte dos principais integrantes do processo de formação dos destinos turísticos sustentáveis, incentiva o surgimento - de maneira planejada e organizada - de novos roteiros em solo brasileiro. Seja no turismo de compras, sol e mar, negócios, aventura, ecoturismo ou em qualquer um dos inúmeros nichos existentes, o que realmente se almeja é o atendimento - de maneira perene - a uma demanda cada vez maior de pessoas que investem em boas sensações.. O turismo – realmente – pode contribuir plenamente para a felicidade das pessoas, principalmente em um “país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza”!.

Parceiros